6 de fev de 2017

{Resenha} Trevas em luto - Martina Romero

Olá, people! Como estão? Espero que bem!
Hoje trago a vocês a resenha do conto Trevas em luto, da Martina Romero, autora do livro A vampira, publicado pela Novo Século no selo Novos talentos da literatura brasileira.

Gênero: Fantasia;
Autora: Martina Romero;
Paginas: 16;
Onde comprar: AMAZON.
Classificação: 🌟🌟🌟🌟🌟
Sinopse: "Dizem que as fadas são seres míticos, encantados. Representam a luz, a pureza, as mães, esposas, virgens, e um monte de coisas mais, dependendo da cultura e lugar. Claro, algumas fadas são assim, perfeitas como se fossem a própria Deusa. Mas eu? Sim, sou um ser encantado. Mas ser pura, representar a luz? Nunca. Sou o que chamam de fada das Trevas."Daya já foi uma fada da Lua, uma fada boa. Mas as reviravoltas do destino a tornaram sombria. A suposta morte de seu amante a fez tomar decisões das quais se arrepende - ou não. Mas agora, depois de meses, há uma pista, uma luz no final do túnel. Para descobrir o que realmente aconteceu com seu amado, ela precisa seguir a luz... e a escuridão.
A historia conta sobre uma fada da luz chamada Daya, que foi levada para as trevas com a promessa que seu coração partido fosse curado.
Ela perdeu um amor, seu verdadeiro amor, e agora esta perdendo tudo que é necessário para uma fada, suas assas.
Hoje pela manhã, acordo assim que os raios de sol refletem na neve e chegam ao buraco da árvore na qual moro. Tudo estava coberto de neve, desde o chão à copa das árvores. Dias como este, quando o sol reflete tanto que cega, lembram-me de quando as fadas dos espíritos me encontraram e me deram a pior notícia da minha vida. Eu ainda morava na floresta com as outras quando aconteceu.
O conto retrata um amor delicado no meio da luz e da trevas. Com uma personagem que tem tudo para ser mais amargurada, mas ela acaba sendo uma personagem sensível e forte, acima de tudo.
Dizem que as fadas são seres míticos, encantados. Representam a luz, a pureza, as mães, as esposas, as virgens, e um monte de coisas mais, dependendo da cultura e lugar. Claro, algumas fadas são assim, perfeitas como se fossem a própria Deusa. Quanto a mim?
Com toda certeza a autora pode explorar esse universo em outros livros e contos. Eu gostei muito e quero ter a oportunidade de ler mais coisas da autora.

Um comentário: